CLUBE NAVAL

Construções Tombadas

A Sede Social do Clube Naval foi construída entre 1907 e 1910, sendo inaugurada em 11 de junho de 1910. O projeto é do arquiteto Tommaso Gaudenzio Bezzi (1844,Turim -1915, Rio de Janeiro), e a construção realizada pelo engenheiro construtor Heitor de Mello (1875 -1920), com pintura e decoração artística a cargo de Hélios Aristides Seelinger (1878, Rio de Janeiro – 1965, Rio de Janeiro). O prédio em estilo eclético, com elementos renascentistas italianos, foi tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC) em 1987.

O prédio do Clube Naval é um dos 10 remanescentes da 1ª geração de prédios da Av. Central. Até 1910, eram 86 prédios. Atualmente, há seis edifícios públicos e tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac): o Banco Central, a Biblioteca Nacional, a própria sede do Iphan, o Museu Nacional de Belas Artes, o Teatro Municipal e o Centro Cultural da Justiça Federal, antiga sede do Supremo Tribunal Federal. Também são tombados pelo estado os imóveis 88 e 155 da avenida, que pertencem, respectivamente, à Ordem Terceira de Nossa Senhora da Conceição e Boa Morte e à Santa Casa da Misericórdia.          

                     

Por ocasião da conclusão das obras de restauro do Theatro Municipal em 2010 houve uma filmagem aérea onde a cobertura do Clube Naval foi visualizada pelo Corretor Cultural, o qual enviou oficio solicitando o tratamento da cobertura, a qual era utilizada como área técnica. Como contrapartida pelo investimento, foi solicitado o uso da área como terraço descoberto (Espaço Pérgola) e novo volume onde atualmente funciona o Tijupá Piano Bar. O projeto foi desenvolvido com a supervisão do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC) e aprovado pela Secretaria de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação (SMUIH), Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Hoje o Clube Naval é utilizado pelo INEPAC como referência de prédio tombado que conserva suas instalações, trabalha em conjunto com os órgãos fiscalizadores e ganhou como contrapartida um novo espaço de convívio para os sócios.